Monthly Archives: julho 2014

  • 0
Um dos mais aplicados e esperados vinho finos de altitude da Serra Catarinense

Revigorado Vinho Comendador retorna ao mercado…

Tags : 

Comendador-Villa-Francioni-3
Especial da Redação São Joaquim Online
Vinho bateu recorde de vendas e se tornou um dos mais aclamados vinhos de 2014.
A Casa do Vinho em São Joaquim já dispõe de mais garrafas do vinho mais aguardado de 2014 o “vinho Comendador”.O Vinho foi concebido pela Casa do vinho há poucos meses atrás e se tornou um verdadeiro ícone de consumo e vendas.Sendo um vinho raro, foi o primeiro na Serra Catarinense a esgotar as primeiras 1363 garrafas, todas enumeradas em apenas um mês após o sublime lançamento pela Villa Francioni em Março de 2014 com a distribuição exclusiva pela Casa do Vinho.O Vinho que tem o status de boutique pela sua raridade qualitativa foi elaborado pelas mais nobres castas de uvas Malbec, Cabernet Franc e Cabernet sauvignon e integra os mais altos graus de sabor e degustação.O teor vinificado também impressiona, apenas os Vinhos Top de linha como o Michelli da Villa Francioni e o premiadíssimo Zelindo da Suzin tem o mesmo teor de 14% de Álcool que o Comendador.

Despertando o interesse de muitos degustadores, entusiastas e amantes do vinho, o Comendador se tornou um sucesso meteórico sendo recomendado por muitos apreciadores e especialistas em Vinho, especialmente pela sua florescência degustativa e o leve sabor amadeirado e performático.

Agora o Comendador retorna ao mercado já revigorado, purpúreo, adensado, envelhecido e experiente. Seu sabor ganhou mais densidade e seu aroma se tornou mais suave aflorando sensitivamente o paladar com uma leveza indescritível.Como tudo que é bom dura pouco, o Comendador também está limitado há um pouco mais de 1000 garrafas, todas numeradas e distribuídas exclusivamente pela Casa do Vinho em São Joaquim.

  • 0
Concurso-Mundial-de-Bruxelas1

Seis vinhos joaquinenses são premiados no Concurso Mundial de Bruxelas

Tags : 

Concurso Mundial de BruxelasSeis rótulos joaquinenses  são no 11º Concurso Nacional de Vinhos Finos do Brasil 

Os resultados do 11º Concurso Nacional de Vinhos Finos do Brasil – Concurso Mundial Bruxelas-Brasil foram anunciados na noite deste domingo, durante um jantar realizado para convidados no Costão do Santinho, em Florianópolis. O concurso conferiu medalhas a 45 dos vinhos inscritos.

Foram 9 medalhas Grande Ouro, 24 de Ouro e 12 de Prata. Os exemplares do Rio Grande do Sul respondem por 62% dos vinhos premiados: foram 28 vinhos gaúchos contemplados com medalhas, sendo 7 Grande Ouro, 16 de Ouro e 5 de Prata .

Por Norma Ramos

Santa Catarina, estado sede do concurso, soma 10 vinhos entre os premiados, sendo um deles com Grande Ouro, 5 com Ouro e 4 com Prata. As demais 7 medalhas conferidas foram para vinhos de Pernambuco (4, sendo uma Grande Ouro e uma Ouro) e Minas Gerais (3 medalhas, sendo 2 Ouro e uma Prata).

Os jurados (especialistas brasileiros e estrangeiros) degustaram às cegas e dentro dos critérios internacionais adotados pelo Concurso Mundial de Bruxelas (o maior concurso do mundo), nos dias 3 e 4 de junho.

Veja a tabela com todos os premiados:

Concurso Nacional de Vinhos – CMB Brasil 2014 – Resultados finais

 

GRANDE OURO

Zanella Merlot 2011 – Vinícola Zanella

Casa Valduga Raizes 2010  –  Casa Valduga

Casa Pedrucci Brut Millésime 2010  –  Vinícola Pedrucci

Valmarino Cabernet Franc 2011  –  Vinícola Valmarino

Rio Sol Reserva 2011  –  Vinícola Santa Maria

Ponto Nero Brut  –  Domno do Brasil

Perini Champenoise  –   Vinícola Perini

Cave Pericó Brut Nature 2010  –  Pericó

Chardonnay Reserva 2012  –  Góes e Venturini

 

OURO

Casa Valduga Gran Leopoldina Chardonnay D.O. 2012  –  Casa Valduga

Perini Quatro 2009  –  Perini

Perini Marselan 2010  –  Perini

Venturini Cabernet Sauvignon Reserva 2012  –  Góes e Venturini

Campos de Cima Brut  –  Vinícola Campos de Cima

Dunamis Nature 2012  –  Dunamis Vinhos

Salton Talento 2009 – Vinhos Salton

Casa Geraldo Brut 2013 – Casa Geraldo

Casa Perini Prosecco Paralelo 8 2011 Dunamis Brut 2012  –  Perini

Casa Pedrucci Brut Tradicional  –  Vinícola Pedrucci

Bueno Bellavista Estate Pinot Noir 2012  –   Miolo Wine Group

Kranz Merlot 2010  –  Vinícola Kranz

Dunamis Cor Merlot/Cabernet Sauvignon 2011 –  Dunamis Vinhos

Stellato Rosé Brut 2012  –  Vinícola Santo Emilio

Salton Evidence  –  Vinhos Salton

Villa Prando Brisa do Mar Brut Tradicional  –  Villa Prando

Monte Pascoal Dedicato Chardonnay 2012 –  Vinícola (Monte Paschoal)

Arte Chardonnay 2012  –  Casa Geraldo

Ponto Nero Celebration Moscatel  –  Domno do Brasil

Nubio Sauvignon Blanc 2013 –  Sanjo

Casa Pedrucci Nature –  Vinícola Pedrucci

Chardonnay D’Alture Lounge 2012  –  Vinícola D’Alture

 

PRATA

Rio Sol Moscatel Espumante  –  Santa Maria

Kranz Cabernet Sauvignon 2011 – Vinícola Kranz

Guatambu Rastros do Pampa Tannat 2013 –  Guatambu

Vivere Brut Champenoise  –  Goes e Venturini

Salton Intenso Marselan/Teroldego 2011 – Vinhos Salton

Casa Geraldo Merlot 2012  –  Casa Geraldo

Rio Sol Cabernet Sauvignon 2012  –  Santa Maria

Suzin Cabernet Sauvignon 2009  –  Vinícola Suzin

Nubio Cabernet Sauvignon 2007  –  Sanjo

Maestrale Cabernet Sauvignon 2007  –  Sanjo

Casa Valduga Arte Tradicional Brut Rosé 2013  –  Casa Valduga

Missões Moscatel Espumante 2013  –  Vinícola Fin

 


  • 0
Sanjo-346x640

Sanjo tem três rótulos premiados no 7º Concurso Internacional de Vinhos do Brasil

Tags : 

SanjoA vinícola catarinense Sanjo foi destaque no 7º Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, o maior evento do gênero na América Latina, realizado no mês de abril no Hotel & SPA do Vinho, em Bento Gonçalves na Serra Gaúcha.

 

Ao todo foram três rótulos da Sanjo premiados entre as 709 amostras de 18 países inscritas na competição, valorizando o autêntico terroir dos Vinhos de Altitude Catarinense em meio aos representantes de vinícolas de todos os continentes.

 

O espumante Maestrale Rosé Brut 2008 recebeu a medalha de Ouro, enquanto o espumante Nobrese Moscatel e o vinho tinto licoroso Núbio Vivaro foram outorgados com medalhas de Prata, por um júri formado por 66 degustadores de 11 diferentes países.

 

O Maestrale Rosé Brut é um vinho espumante elaborado a partir de um corte de uvas Chardonnay, Merlot e Cabernet Sauvignon, que revela toda a complexidade e sofisticação desenvolvidas ao longo dos 20 meses em que o vinho permaneceu nas caves em contato com as leveduras no interior da garrafa.

 

Já o Nobrese Moscatel é um vinho espumante aromático mais leve e de sabor adocicado. Produzido pelo método Asti, o vinho apresenta um menor teor alcoólico com aromas de frutas como pêssego, pera e maçã, além de florais como jasmim e rosa, agradando especialmente o público feminino.

 

O também premiado Núbio Vivaro é um vinho licoroso doce, produzido com uvas Cabernet Sauvignon passificadas no próprio vinhedo, durante o rigoroso inverno da Serra Catarinense – ideal para servir com aperitivos e sobremesas.

 

O Concurso Internacional de Vinhos do Brasil é promovido pela Associação Brasileira  de Enologia (ABE), sendo o único evento no país chancelado pela Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV) e a União Internacional de Enólogos (UIOE).

 

Fundada em 1993, a Sanjo Cooperativa Agrícola de São Joaquim (SC) é uma das cinco maiores produtoras de maçãs do Brasil. A partir de 2002, a empresa passou a investir na produção de vinhos finos de altitude, utilizando-se dos mesmos processos de qualidade e tecnologia que integram os valores essenciais de sua fruticultura.